Faz um Ano | Quistos e um Backlog

Faz um ano desde que fui operado, pela segunda vez, a um quisto pilonidal; na primeira (em 2014) fiquei um mês acamado com algum movimento e uma 3DS. Deixei o Xenoblade Chronicles a meio e só o acabei a entrar em Dezembro.
Na segunda volta, optaram por deixar a cirurgia aberta para sarar de dentro para fora, o que me prendeu à cama durante dois meses e uns trocos; desta vez já tinha a Nintendo Switch e algum backlog + já tinha voltado às análises de jogos.

Em jeito de promessa, decidi despachar os jogos que tinha por terminar na Switch que, na altura, nem eram tantos. De novos, apenas tinha o Astral Chain e o Dragon Quest XI: Echoes of an Elusive Age. O resto tinha vindo de umas promos digitais.
A stressar com a Worten antes de desaparecer do mundo real, consegui arrumar um cantinho acessível para o vício, já que o movimento tinha de ser zero ou menos, mas não contei com a posição para jogar, peso da consola e braços dormentes.

Na primeira baixa, solidifiquei o amor por Fire Emblem.

Orgulho-me de ter cumprido a minha promessa.
Pudera, com meses de cama, que raio iria fazer? Acabei o Astral e o Dragon Quest de enfiada, mais os jogos digitais; só me arrependo de não os ter apreciado numa televisão, mas quando isto acabar…
Ainda tive vagar para começar uma rubrica engraçada no Glitch Effect (pelo menos eu achei) chamada Na Minha Cama Com Ela. De onde veio o nome?, acho que estava a ouvir o Deixem o Pimba em Paz, do Bruno Nogueira, e assim ficou.

Durante os meses da baixa, de forma mais ou menos regular, ia debitando sobre o que estava a jogar, como estava a jogar e outras palermices.
A própria escrita foi uma aventura porque tinha de ser no telemóvel, mas ao fim de uns tempos consegui ajeitar-me com o portátil para trabalhar melhor, tanto que criei o Per Nebulae assim! Aliás, dois Per Nebulae, mas não falamos do primeiro… E revi, e editei toda a minha escrita que está aqui publicada; e participei em dois concursos!

Todo o tempo do mundo deixaram-me ver o final normal e o verdadeiro.

Às vezes bate a saudade das férias grandes de Verão com tanto e nada para fazer, que até me aborrecia. Quis alguma alminha no céu adiantar a minha operação para o final do Verão de 2019 (ainda bem, ou estaria lixado agora durante a COVID) para matar saudades desses tempos, mas com muito mais para jogar!
O final do ano e grande parte de 2020 foi, no mínimo, estranha, mas aqui estamos. E passou a correr. Agora quero escrever uma mensagem semelhante no final de 2020 com todo o backlog despachado. Ou metade, vá!

Se quiserem ler todas as entradas de Na Minha Cama com Ela, sigam por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *