Eu

Quem sou?​

Sou o André e gosto de azul.
Nasci na Beira, em 1987, mas andei por vários sítios até assentar.
Escrevo porque é mais barato do que ir a um psicólogo e escrevo, ou tento escrever, sobre o que gostaria de ler: recortes do dia, de vidas, de pessoas, mas com uma pitada de surrealismo e de magia.

A vida já é aborrecida a partir do primeiro toque do despertador.
Porque não acreditar em duendes que roubam e arranjam guarda-chuvas ou avós que dizem ter fábricas de doces na cave, que contam histórias de texugos falantes que raptam princesas ou homens do vento que vivem aventuras diferentes em cada estória de domingo?

Onde fui publicado?

Insonho – Durma bem!

Ainda em 2015, esta antologia deu-me um gozo em participar!

Foi organizada pela autora Valentina Ferreira e encontra-se publicada no Brasil!

Revista Ler

Esta edição saiu em Janeiro, de 2013 e não podia começar o ano de melhor forma!

Participei com o conto “Os Pássaros Também Escrevem” que partilho aqui na sua versão original.

Corda Bamba

A minha primeira antologia, em 2012.

Aprendi uma grande lição: nunca paguem para serem publicados – é o maior esquema do mercado e só vale cair uma vez.
O conto foi editado e podem lê-lo aqui com o título “Filmes na Cabeça”.

O que editei?

O ano de 2012 foi bastante produtivo!

Eu e mais parceiros de escrita juntámos as cabeças e avançámos com a Lusitânia, uma antologia nacional que publicava autores amadores portugueses com um critério obrigatório: as histórias teriam de acontecer em Portugal.
Um trabalho que misturou a escrita com a ilustração e que foi apresentado em três Fórum Fantástico.

Durou três anos, mas foram três anos bons.

A Cosplayer E-zine foi uma escola.
Aprendi bastante sobre edição editorial, revisão, prazos, sei lá!

Abriu-me a porta aos eventos e a muito talento no mundo do cosplay.

Onde escrevi?

Antes de pegar neste projecto a solo, escrevi em vários sites de jogos.

Contribuí com análises e artigos de opinião que me deram as bases e a confiança para começar o projecto Per Nebulae.